terça-feira, 14 de abril de 2009

virado pra lua

poeta é antiguidade
ele é um Xamã
um místico
um romântico
que fala de tudo
de forma toda
e conta com o agora
pra falar do antes
e apontar um caminho
durante sua lírica
ele é um Guru
um Gilgamesh
um Noé
um sobrevivente do dilúvio
que viaja na arca do delírio
carregando cobras
passarinhos e lagartos...
pra falar de nossa saga
de maneira atemporal
poeta é o pai do mito

7 comentários:

Adriana Godoy disse...

Que belo poema, Guru. O Drumonnd ali parado, à beira-mar parece que te ouve. Certamente, ele deve estar feliz por tão belas palavras. Lindo! Arrasou. Bj

Cosmunicando disse...

poeta, fazedor de pontes entre o delírio e razão, nós e nossos nós... lindo poema!
bjos

Mirse disse...

Lindo poema Guru!
E surreal. Me livre das cobras ou deixo de escrever. A Mitologia anda sempre de mãos dadas com a poesia!

Parabéns, amigo

Abraços

Mirse

Maria Maria disse...

Lindo isso!!!!!!
Beijos de cá do Seridó,
Maria maria

Lou disse...

Gostei das metáforas, Guru. As partes e o todo encantam!

Abraços

Anita Mendes disse...

sabias palavras ,guru!
o poeta é a lenda a ser contada ,inventando o seu rito ele se descobre .O que se forma ,vaga na oralidade do tempo pois
a perpetuidade de um poeta dura tanto quanto
a eferidade das palavras:somos apenas um momento.
lindo!lindo! lindo!
beijos pra ti.
Anita.
ps: muito bom vir por aqui!

Adrianna Coelho disse...


cara, que bom que cheguei aqui!

"poeta é o pai do mito"

lindo e verdadeiro o poema! muito bom!

 
Website Statistics Investing