terça-feira, 20 de abril de 2010

meta...

...a pena no papel
o dedo no teclado
na areia
no vidro embaçado
o grafite no tablado
o esprei na parede
o borrão na pedra
o giz no quadro
o pé na lua
na jaca
no pau da barraca
a mão na placa
a placa na via
o formão na madeira
a cara na tela
a tela no quadro
a cal no cão
a picareta na rocha
a tatuagem na bunda
o silk na blusa
a letra na música
a música na letra
o cd no espaço
o pincel no parachoque do caminhão
o verso no bloco
e o bloco na rua...

8 comentários:

Adriana Godoy disse...

Guru, adorei! Tudo no lugar e o bloco na rua...esse é o mestre, é o Guru. Beijo.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Expressivo!

Pedra da roseta?!

;)

Mai disse...

Escrever, escrever, escrever...
Letras, Guru, e canções.

beijos

Anônimo disse...

Meta de poeta
"...escrivão da saga humana
samurai dos papéis..."

Sílvia disse...

Tudo interligado, adorei :)

Mirse Maria disse...

Amei, Guru!

Se cantar: Estava a mosca em seu lugar, veio o rato lhe fazer mal.... o rato na mosca e a mosca a vagar...

Acaba dando certinho!

Músico e poeta, faz essas genialidades.

Beijos

Mirse

Maria Luisa Adães disse...

Bom o seu poema.

Aqui encontrei o Guru!

Nem sempre se espraia desta forma,
mas é a sua verdade, sua forma de dizer e de viver.

A tela continua no quadro!

Mª. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Guru

Você é poeta e livre de cantar e dizer seus poemas, como gostar.

Gostei de o conhecer.

Maria Luísa

 
Website Statistics Investing