segunda-feira, 26 de abril de 2010

largo da carioca

ela abriu o tampo e me deu o espaço mulher da vida...
eu sou o tempo e entrei com tudo

nosso encontro trouxe eternidade ao momento e fomos...
ela bailava um tango de ventre alerta rubro vibrante
eu urrando um canto rito de coito em louvor
fêmea pronta se abre como flor quente aconchegante
pulsando ela foi escrevendo os termos de nosso contrato em cada gomo do meu pau
selando nosso pacto com um sonoro gozo
escandalosa dilatada e aflita me puxando pra dentro
eu afoito atolado em sua lagoa um puto feliz(pleonasmo!)
seu tesão é fluido que escoa e empoça em mim
mergulhar em você é voltar pro meu mundo
tu és meu continente eu sou seu conteúdo

12 comentários:

Anônimo disse...

Voce tb acha que o amor é rosa, mestre Guru?

Barbara disse...

As luxúrias cristalizadas...diluídas sob fogo.

Adriana Godoy disse...

Ai, Guru, realmente, quando isso acontece é muito bom. Legal o seu poema. beijo.

Mirse Maria disse...

"Nosso encontro trouxe eternidade ao momento e fomos"....

Quando o amor acontece, seria o nome, caso filme.

O clima favoreceu, seria o dito popular dos jovens.

Coso música, seria a "música surda"

Parabéns, amigo!

Que esse amor perdure!

Beijos

Mirse

Anita Mendes disse...

Ah! mais esse nego arraza mesmo!kkkkkkkkk
muito bom tudo isso aqui,guru!
beijokas...
Anita.

Beti Timm disse...

Putz, do caralho esse texto!! Desculpe o palavrão, mas tem momentos em que uma mulher semi-comportada tem que perder a pose e soltar o verbo!

Adoro isso de poesia rasgada, sem limites, permitindo viajar sem ponto de chegada.
Vc é mestre nisso, com certeza!

Ando intrincheirada na minha arte, mas qdo a saudade bate eu apareço, pedindo é claro desculpas pela ausência, mas como sei da grandeza do seu coração, serei desculpada!

Beijos e saudades!
Gosto de vc pra caramba!

Luciano Fraga disse...

Guru amigo, soltou o verbo e literalmente o pau comeu...Muito bom caro.Abraço.

Ilaine disse...

Ah, menino, mas está demais esta poesia. Linda, linda. O amor em palavras, diluídas em poesia e sensualidade. Parabéns, Guru!

Obrigada pelo carinho e perdoe a demora.

Abraço, com carinho

Maria Luisa Adães disse...

Guru

Seu poema pouco tem de guru, mas a cada um sua forma de viver e de dizer.
Há imensas formas de escrever, esta é a sua!

Obrigada por sua presença no meu poema "Sede"

Mª. Luísa

Maria Maria disse...

Adorei sua roupa nova, seus textos e textículos. Tudo aqui está belíssimo.

Beijos, saudades.

Maria Maria

Erica Vittorazzi disse...

Guru, que delícia ler este poema... e vivê-lo então????


Beijos

tavares disse...

delícia.

 
Website Statistics Investing