quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

tricotando


Voce me envolveu

em sua teia

Com a engenharia

da aranha

No balanço foi tecendo

fio a fio

Essa malha em que me vejo

Tal prenda foi ninguém

que lhe ensinou

É o milagre original

Ciência tão antiga

Necessária e trivial

Beleza que se nega

A ser só observada

Desafia a conquista

E termino dominado

Falando assim parece premeditado

Mas não!

É o destino se valendo do acaso

Eu, no caso, dei a sorte

De ser teu predestinado


5 comentários:

Adriana disse...

Bonito. Dei uma olhada nos seus novos textos e sempre parecem que dançam. Abraço.

Miguel Barroso disse...

Não foi sorte, foi talento




Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

SAM disse...

Não foi sorte! Foi TALENTO² rsrs.

Que beleza, amigo....Obrigada por abrir as portas da sua casa virtual...Amei! E voltarei com calma para me deliciar com seus escritos... Férias fico no vai e vem rsrs. Mas sempre dando umas voltas lendo e relendo amigos... Miguel, acho que foi no Desnuda...Ainda não tive tempo de ver os comentários quando estive ausente no Sam...Seja bem vindo! E toda a minha gratidão...

Um 2009 brilhante para você e os seus.

Beijo!

Pelos caminhos da vida. disse...

Vim agardecer sua visita no meu espaço,obrigado.

Tens talento.

Fim de semana de luz.

bjs.

Luciano Fraga disse...

Musicalidade pura, "a aranha tecendo o fio da teia a ciência da abelha e a minha muita gente desconhece..." Abraço.

 
Website Statistics Investing