terça-feira, 2 de dezembro de 2008

cena de morte

Essa noite sonhei com a morte
Má sorte!
Recebia a notícia do fim de Márcia Vermelho
Irmã de Márcia Rosa
Que também padecia de doença fatal
Mas ainda não estava no final
Enquanto recebia o relato
A cena reproduzia o fato:
Márcia Vermelho cabelo ralo vestido claro
À beira do rio banhada de sol
Sobre o gramado sob o céu azulado
Onde todo dia pela manhã ia fumar seu cigarro
E descarregar seus pigarros
Sendo sacudida por um súbito colapso...
A palidez de seu rosto e o vazio no lapso
Como se uma força invisível e cruel
Lhe arrancasse do corpo a alma
Deixando em seus lábios a contração amarga
Do gosto de fel...
Alguém lacrimoso lhe acudia mas nada adiantava
A não ser a companhia impotente
Ante a intrusa que lhe subtraia violentamente
Eu tudo assistia mais como testemunha de um desfecho
Do drama da existência a cores e ao vivo...
A morte iguala todos os seres vivos
Humano vegetal animal
A morte não é natural!
Existir é uma inocência!
Morrer é uma indecência!

7 comentários:

Ca:mila disse...

bom por excelência!

abraços

Marcia Barbieri disse...

Simplesmente maravilhoso!!!

PS: a morte é realmente a coisa mais indecenteque já ouvi falar

beijos ternos

Luciano Fraga disse...

Caro Guru, tenho um amigo que dizia: "vou mandar uma carta para a morte e avisar para ela ;D. Morte,saiba, se eu te encontrar vou te matar..."Este amigo, para nossa tristeza, morreu primeiro que ela. Grande poema, abraço.

fashion jewelry disse...

lol,so nice

安徽棋牌游戏中心 disse...

You these things, I have read twice, for me, this is a relatively rare phenomenon!
Personalized Signature:常州麻将,常州三打一,常州攻主,常州斗地主,常州4人升级

superior disse...

Although there are differences in content, but I still want you to establish Links, I do not
fashion jewelry

williamlial disse...

Belos versos. Gostei muito!

Um grande abraço!

 
Website Statistics Investing