sábado, 16 de janeiro de 2010

crônica do sufoco

o "pensamento musical" só é possível
na pessoa dotada de um apurado "ouvido musical"
e uma "memória musical" expansiva
a habilidade para execução de um instrumento musical
fará com que essas instâncias "conversem"
da natural capacidade da audição entendimento e distinção dos sons
suas alturas e extensões distribuição em escalas
sua combinação harmônica e uma linha melódica expressa por uma "letra"
como correspondente genuína do que se passa
no corpo emocional do condenado à arte nascerá a "música"...
Parece fácil, não?
Agora acrescente a tudo isso o "talento"
essa qualidade inata na pessoa que tem o recurso
mas nenhum poder sobre a "intuição" e a "inspiração"
que só se revela pelo resultado e lhe dará o status de "artista"
dono de uma grande capacidade inventiva
e uma natureza obsessiva que o faz repetir repetir repetir...
descobrindo novidade a cada repetição apura a fisiologia
aprimora a técnica suaviza os movimentos e depura as emoções
toca toca toca até não sentir mais as dores da execução
e ser tocado pelo instrumento...
aí a música se revela e se mostrará tão grandiosa
quanto maior o recurso de seu eleito
ela se apresenta ele cria as condições pra que ela se expresse com plenitude
ela exige tudo dele mas lhe faz algumas concessões
como expressar as emoções como bem lhe entender
desde que nenhum elemento de expressão utilizado
entre em choque com suas frequências sonoras
música é o resultado harmônico da combinação
física matemática e bioquímica entre silêncio som e vigor do artista
em suma: bioengenharia a serviço da metafísica do afeto

8 comentários:

Anônimo disse...

Parecia fácil, mas agora a "luta vâ", como disse Drumonnd, com palavras, acordes, harmonia e inspiração faz sua labuta ser mais preciosa. O aplauso a cada artista é muito pouco... Para cada um deles e - em especial a você - "reconheço o solo sagrado que merece a minha reverência..."

Luanne Araujo disse...

adorei.

"ela exige tudo dele mas lhe faz algumas concessões
como expressar as emoções como bem lhe entender"

me lembrou uma cena do filme que conta a história do Ian Curtis, em um momento ele diz algo como "eles me pedem mais, mais? será que não vêem o quanto eu me entrego?" e a entrega dele que se vê nos clipes é intensa. é muito bonito que alguém se preste a viver pela arte, é uma mistura de doação, recompensa, privilégio, dever.

e eu acho muito difícil chegar nesse estágio de "conversa" com um instrumento. é preciso algo que não sei para esta simbiose com um instrumento, acho. um viva aos músicos, então. porque música é oxigênio da alma.

Renata de Aragão Lopes disse...

Eis o mérito
dos musicistas!

Beijo,
doce de lira

Lisa Alves disse...

o artista vira um instrumento numa simbiose material. Uau que didática de arte!

Mirse Maria disse...

Muito bom!

A música além de tudo descrito harmoniosamente, é também uma linguagem universal, assim como a matemática.

Beleza de postagem!

Beijos

Mirse

Anita Mendes disse...

fiu
tocada
por
essa
nota
que
não
toca
música
mas faz
melodia
com letras!

dale ,guru!
beijokas, Anita.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Guru,como dizia o poeta: "se fôsse fácil, todo mundo era, se fôsse muito, todo mundo tinha..." Talento, harmonia, musicalidade,não são fabricados,como eu gostaria...Forte abraço.

Sylvio de Alencar. disse...

Fico abismado com o que vc escreve; com vc, na verdade.
Pensando, neste momento, acho que não tenho realmente essa 'sina'. Creio ser e/ou ter, muito de pequeno burguês entranhado em mim. Só faço pois, admirar a rota, e o resultado deste 'destino'.

Abraço.

 
Website Statistics Investing